Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

(in)sensatez

(in)sensatez

30
Jun16

Posts Mais Comentados.

CD

Posts Mais Comentados.png

Esta é a lista dos meus posts mais comentados.

Não são os meus favoritos (fora um ou outro) mas percebo as razões pelas quais, alguns deles, são tão comentados.

 

Para os lerem (ou relerem) basta irem a barra lateral direita do blog.

 

Sigam-me nas seguintes redes sociais:

Instagram www.instagram.com/catarinaduarte.words

Facebook https://www.facebook.com/catarinaduartewords

Twitter https://twitter.com/cduartewords

 

Merciiiiiiiii 💛

30
Jun16

Lisboa (outra vez).

CD

image.jpeg

IMG_3354.JPG

 

Em Lisboa, regra geral, ando de carro. Raramente a pé. Tenho estacionamento (tanto em casa como no trabalho) e um certo comodismo à mistura. 

Porém, tenho total consciência que andar a pé traz benefícios. 

Entre os quais: conseguir fotografar mais. 

Tenho noção - infelizmente - que perco muitas oportunidades de paralisar bons momentos. 

 

Mais fotos minhas aqui -> Instagram www.instagram.com/catarinaduarte.words

 

29
Jun16

Calças cor de pastel.

CD

magra.jpg

Actualmente, ele era somente uma pontinha insignificante do que outrora foi. Passeava-se pela casa com as suas calças cor de pastel e o seu tronco enrolado. Nada fazia crer que, por detrás da deterioração lenta do físico, se encontrou, em tempos, alguém construído por dureza e secura. Os anos passam. As pessoas envelhecem. Transformamo-nos, invariavelmente, na aparência magra do que um dia fomos. Apagamos em nós todas as ocorrências do mundo e passeamo-nos todos, sem qualquer excepção, de forma lenta e pausada, uns em calças cor de pastel, outros de tronco enrolado. Esquecemos sempre a dureza. Seguramo-nos invariavelmente à velhice.

 

Instagram www.instagram.com/catarinaduarte.words

Facebook https://www.facebook.com/catarinaduartewords

Twitter https://twitter.com/cduartewords

 

28
Jun16

Por que é que a Islândia ganhou à Inglaterra?

CD

IMG_3297.JPG

Por que é que a Islândia ganhou à Inglaterra?

Não sei. Estava absorvida num jantar profissional e, por isso, não vi o jogo. Mas mentia se dissesse que não estive com um olhinho no seu evoluir. E mentia ainda mais se não assumisse que não queria que a Islândia ganhasse! E que não quis que passasse, conjuntamente com Portugal, os grupos. 

Por que é que a Islândia ganhou a Inglaterra? 

Não sei. 

Mas eis o que garanto: a Islândia é um país que não se explica. É um país, de certa forma, áspero e duro. Mas fortemente contrabalançado por uma forte hospitalidade e profunda beleza. Notório na alegria e cânticos que se fazem sentir em todos os seus jogos da selecção. Um misto de dedicação, incentivo e familiaridade. A Islândia é um país familiar. 

Na verdade, por muitas palavras que use, por muitos textos que se escreva, a viagem à Islândia é sempre envolta por neblinas e surpresas. Roça, tantas vezes, o enigmático e a penumbra. 

A Islândia é um país que não se explica; é um país onde facilmente se mergulha nas suas profundezas e que nos surpreende com a sua diversidade: áreas verdejantes, praias vulcânicas, crateras transformadas em lagos monstruosos, cascatas intermináveis, icebergues deslumbrantes e 330.000 pessoas.

Um país, uma ilha e 330.000 pessoas. Que acreditam em duendes e elfos. Que descendem dos Vikings. Um país, uma ilha e 330.000 pessoas. E familiar. Um país que vive embrulhado nas noites frias e dolorosas do seu inverno. E que, no verão, que é mais frio do que o nosso inverno, arregaça as mangas e explora profundamente o seu próprio interior. 

Por que é que a Islândia ganhou à Inglaterra?

Não sei. 

A Islândia é um país que não se explica. E acrescento: que não se mostra! É um país onde a cultura é trabalhada a sério. Onde as pessoas lêem a sério; onde as pessoas fazem música a sério. Onde as pessoas se desenvolvem a sério. 

A Islândia é um país que não se explica.

A Islândia vive-se e embala-se e espera-se por uma nova oportunidade para nela voltar a mergulhar. 

Fui muito feliz na Islândia. E espero voltar a ser 💛

Por tudo isto, torço porque avancem o máximo que conseguirem nesta competição. Porque merecem.

 

IMG_3295.JPG

 

IMG_3296.JPG

 

IMG_3298.JPG

 

IMG_3300.JPG

 

IMG_3301.JPG

 

IMG_3303.JPG

 

IMG_3304.JPG

 

IMG_3305.JPG

 

IMG_3306.JPG

 

IMG_3307.JPG

 

IMG_3308.JPG

 

Nesta foto está o meu marido, entre duas placas intercontinentais. 

IMG_3294.JPG

E nós os dois 💛

IMG_3302.JPG

Boa terça-feira!

 

Instagram www.instagram.com/catarinaduarte.words

Facebook https://www.facebook.com/catarinaduartewords

Twitter https://twitter.com/cduartewords

 

27
Jun16

Bom dia.

CD

No outro dia, uma amiga reflectia: “tens tanta imaginação quando escreves…”

Não tenho. Lamento desapontar.

Sou apenas a sombra pálida de alguém criativo.

O que tenho é ganas de escrever e vontade de falar.

Escrevo por tudo. Escrevo por nada.

São estas as duas principais razões que me motivam na escrita. Não sei se há melhores. Mas estas, por enquanto, servem-me.

Bom dia :)

Pág. 1/5

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me

Facebook

Instagram @catarinaduarte.words

Biografia

Sou autora do livro infantil “Maria Bolinhos – no Reino da Maravilhosa Doçaria Alentejana” e do blog insensatez.blogs.sapo.pt. Escritora compulsiva: a minha vida é absorver tudo aquilo que vejo e tudo o que ouço. Se estão comigo há um certo risco de se tornarem inspiração da minha próxima personagem :) mas, calma!, não fujam já! Dou Workshops de Escrita Criativa a crianças e a adultos - são boas horas que sempre voam embaladas pelo fluir frenético da escrita. Devoro arte, sou constantemente inspirada por ela, nas suas mais diversas formas: livros, pintura, música, cinema, fotografia. Mas, também, jardins, praias, arestas dos prédios recortados da minha Lisboa: inspiro a luz que escorre pelas suas paredes, expiro um texto completo de incertezas. Não passo sem café, sem livros, sem as minhas viagens mas, especialmente, sem o ar livre da minha cidade, a minha maior inspiração. Tenho 32 anos, vivo em Lisboa com o meu marido e com as minhas palavras preferidas.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D