Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

(in)sensatez

06
Set16

(ainda) Sobre setembro.

CD

Estou no céu. Em qualquer loja deste nosso Portugal tenho a frase “regresso às aulas” espalhada por todos os cantos. São cadernos, carimbos, canetas, estojos: um mundo de coisas bonitas e apetecíveis para trazer para casa!

Este fim-de-semana fui a diversas lojas com material de papelaria (vá, foram só duas ou três) e a frase que mais ouvi, durante os minutos que lá estive, dita pelos três milhões de miúdos que lá apanhei, foi: eu quero!

Eram aos milhões (juro!) e resolveram sair de casa todos no mesmo fim-de-semana e, pior ainda, todos ao mesmo tempo, sempre atrelados aos pais que, dentro do que lhes era possível, tentavam gerir os “eu queros” com os “eu preciso”.

Gosto bastante desta azafama porque - é verdade - também eu a tenho e reuni, para festejar este “regresso às aulas” cheio de vigor, algum material que não me importava de trazer para casa, à venda em lojas que não seriam, à partida, opções para este género de compras:

 

Bershka

 

9809186512_1_1_3.jpg

 

9814856902_1_1_3.jpg

 

Stradivarius

 

3508030004_1_1_1.jpg

 

4243061004_1_1_1.jpg

 

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sigam-me

Facebook

Instagram @catarinaduarte.words

Biografia

Sou autora do livro infantil “Maria Bolinhos – no Reino da Maravilhosa Doçaria Alentejana” e do blog insensatez.blogs.sapo.pt. Escritora compulsiva: a minha vida é absorver tudo aquilo que vejo e tudo o que ouço. Se estão comigo há um certo risco de se tornarem inspiração da minha próxima personagem :) mas, calma!, não fujam já! Dou Workshops de Escrita Criativa a crianças e a adultos - são boas horas que sempre voam embaladas pelo fluir frenético da escrita. Devoro arte, sou constantemente inspirada por ela, nas suas mais diversas formas: livros, pintura, música, cinema, fotografia. Mas, também, jardins, praias, arestas dos prédios recortados da minha Lisboa: inspiro a luz que escorre pelas suas paredes, expiro um texto completo de incertezas. Não passo sem café, sem livros, sem as minhas viagens mas, especialmente, sem o ar livre da minha cidade, a minha maior inspiração. Tenho 32 anos, vivo em Lisboa com o meu marido e com as minhas palavras preferidas.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D