Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

(in)sensatez

29
Ago17

As pessoas dos retrovisores parecem-me diferentes.

CD

No trânsito, parados ou encostados com os quatro piscas: estamos sempre dançando com os outros carros, viaturas que escorrem estrada abaixo e deslizam estrada acima. 

 

Parecem-me sempre diferentes, com vidas opostas à minha, com vidas opostas às nossas: talvez até tenham as mesmas rotinas do que nós, talvez até cumpram os mesmos horários, talvez se dirijam aos mesmos locais, talvez, até, se amassem com as mesmas miudezas do que nós, mas não deixam de ser apenas pessoas anónimas, diferentes, distantes.

 

Analisando a cru, distanciando a verdade, as vidas destas pessoas sem nome, que se passeiam pelos mesmos passeios, que rolam pelas mesmas estradas, que param nos mesmos semáforos, as vidas delas, destas pessoas dos retrovisores que todos os dias vemos, que, até, todos os dias reconhecemos, são sempre, esmagadoramente sempre, mais iguais entre elas, mais iguais entre as nossas, do que achamos possível serem.

3 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrevam a Newsletter (prometo que não se vão arrepender)

Carreguem aqui para subscrever:)

Sigam-me

Facebook

Instagram @catarinaduarte.words

Biografia

Sou autora do livro infantil “Maria Bolinhos – no Reino da Maravilhosa Doçaria Alentejana” e do blog insensatez.blogs.sapo.pt. Escritora compulsiva: a minha vida é absorver tudo aquilo que vejo e tudo o que ouço. Se estão comigo há um certo risco de se tornarem inspiração da minha próxima personagem :) mas, calma!, não fujam já! Dou Workshops de Escrita Criativa a crianças e a adultos - são boas horas que sempre voam embaladas pelo fluir frenético da escrita. Devoro arte, sou constantemente inspirada por ela, nas suas mais diversas formas: livros, pintura, música, cinema, fotografia. Mas, também, jardins, praias, arestas dos prédios recortados da minha Lisboa: inspiro a luz que escorre pelas suas paredes, expiro um texto completo de incertezas. Não passo sem café, sem livros, sem as minhas viagens mas, especialmente, sem o ar livre da minha cidade, a minha maior inspiração. Tenho 32 anos, vivo em Lisboa com o meu marido e com as minhas palavras preferidas.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D