Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

(in)sensatez

02
Nov17

Opinião: Os Homens que Odeiam as Mulheres, de Stieg Larsson

CD

os homens que odeiam as mulheres.jpg

 

Sei que já vou com quase 10 anos de atraso mas tenho mesmo algumas coisas a dizer sobre o livro “Os Homens que Odeiam as Mulheres”, que tanto furor fez, do escritor Stieg Larsson.

 

Acabei-o há umas semanas e, bom, desculpem-me os fãs, não o achei tão maravilhoso como todos dizem que é. Aliás, não o achei, de todo, maravilhoso.

 

Para começar, achei que a escrita não é, propriamente, brilhante. Claro que, quando se fala de um livro policial, uma pessoa já dá de barato que a escrita não seja a melhor coisinha do planeta mas, mesmo assim, com todo o burburinho em torno este livro, achei que, de alguma forma, me fosse surpreender – admito que aqui tenha sido uma questão de gestão de expectativas.

 

(Querem um policial bem escrito? Leiam “O Imenso Adeus” de Raymond Chandler: “Se há escritor no universo literário que contribuiu para que a literatura policial deixasse de ser olhada como um género menor e pouco recomendável, esse foi certamente Raymond Chandler." )

 

Quanto às personagens, gostei da Lisbeth Salander, cumpriu o seu papel de miúda enigmática, é uma personagem com muito carisma e que desperta curiosidade. Mas, o caldo entorna, quando falamos de Mikael Blomkvist, devo dizer que o achei muito, mas mesmo muito, previsível. Aquele final dele com a outra (só um bocadinho de spoiler - espera lá, ainda se pode falar em spoiler quase 10 anos depois?) estava-se mesmo a ver, malta!

 

A história é original, o ambiente muito ao estilo de policial sueco que, na verdade, é o que este livro é.

 

Ponto muito franco: só a mais de metade do livro (sendo que estamos a falar de um livro que tem 539 páginas) é que a história me agarrou, verdadeiramente. Ora, num livro policial, não é isso que se pretende: quer-se uma escrita rápida, fluída, que agarre quase na primeira frase.

 

Bom, irei ler os dois que faltam (já ouvi dizer que o segundo volume é muito melhor) para fechar este ciclo.

 

É um livro mediano, longe, muito longe, do livro que me venderam.

 

Rating: 3/5

3 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrevam a Newsletter (prometo que não se vão arrepender)

Carreguem aqui para subscrever:)

Sigam-me

Facebook

Instagram @catarinaduarte.words

Biografia

Sou autora do livro infantil “Maria Bolinhos – no Reino da Maravilhosa Doçaria Alentejana” e do blog insensatez.blogs.sapo.pt. Escritora compulsiva: a minha vida é absorver tudo aquilo que vejo e tudo o que ouço. Se estão comigo há um certo risco de se tornarem inspiração da minha próxima personagem :) mas, calma!, não fujam já! Dou Workshops de Escrita Criativa a crianças e a adultos - são boas horas que sempre voam embaladas pelo fluir frenético da escrita. Devoro arte, sou constantemente inspirada por ela, nas suas mais diversas formas: livros, pintura, música, cinema, fotografia. Mas, também, jardins, praias, arestas dos prédios recortados da minha Lisboa: inspiro a luz que escorre pelas suas paredes, expiro um texto completo de incertezas. Não passo sem café, sem livros, sem as minhas viagens mas, especialmente, sem o ar livre da minha cidade, a minha maior inspiração. Tenho 32 anos, vivo em Lisboa com o meu marido e com as minhas palavras preferidas.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D