Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

(in)sensatez

30
Jun17

Sobre blogs #2: Começar um blog.

CD

II - Começar um blog - sobre blogs.png

 

Quando se decide começar um blog, há várias decisões a tomar logo no seu início. Umas podem ser alteradas, ao longo do tempo; outras, como por exemplo o nome, convém que se mantenham constantes, caso queiramos ver o número de seguidores crescer. 

 

Na minha opinião, as principais decisões a tomar são: 

 

Ter um tema - O tema do blog tanto pode ser do mais abrangente possível (como o Pipoca mais Doce - onde são abordados diversos assuntos, tais como, a actualidade, moda ou o Benfica), como ser mais específico (como o Paulo Marques - saber fazer.fazer saber – onde se fala sobre Contabilidade).

 

A escolha do tema, pode condicionar, à partida, o crescimento do blog. Se estivermos a falar de Contabilidade, obviamente que os interessados no tema serão em menor número.

 

Um tema pode ser importante como "guia" mas que não deve (nem vai) ser castrador da vontade.

 

Claro que, num blog de Contabilidade, é despropositado falar de moda mas, mesmo que a ideia inicial seja apenas falar de Contabilidade, pode-se, eventualmente, abrir o leque para Fiscalidade ou para Recursos Humanos. Os blogs - como a vida - não são estáticos. 

 

Ter um nome - Depois de escolhido o tema, ou, pelo menos, o tema principal, deve-se escolher um (bom) nome. Um bom nome é curto, direto e fácil de decorar. Insensatez, no caso do meu, pretende associar-se à minha escrita por ela ser muito "ondulada", cheia de picos de personalidade, é um nome rápido e fácil de identificar. Isto é relevante no passa-palavra. 

 

Onde alojar - Há muitos locais onde podem colocar o vosso blog, tal como, o Blogspot, o Wordpress ou o Sapo. Eu já tive um blog do Blogspot e foi uma boa experiência mas não bate o Sapo.

 

Bom, o Sapo, para além de ser um portal português e que fornece aos bloggers apoio quando necessitamos, também potencia o crescimento dos seus membros. Como? Partilhando, nas suas diversas páginas, textos que considera relevantes (ver no blogs.sapo.pt ou no próprio do sapo.pt). Este gesto dá visibilidade à comunidade. 

 

Boa imagem / Bom layout - Depois de escolhido o tema, o nome e onde colocar o blog é necessário cuidar da imagem e do layout. 

 

A imagem deve ser limpa, as letras devem ser pretas (no máximo, cinzentas) em base branca e deve haver coerência entre o conteúdo e a imagem: se calhar, não faz sentido, caso eu queira passar uma mensagem de maturidade, utilizar uma imagem cheia de gelados e flamingos. 

 

O layout, por sua vez, deve ser fácil e conter apenas a informação relevante. A Sapo já tem layouts pré-definidos que vamos ajustando conforme as nossas necessidades. A informação que queremos destacar deve estar visível e de fácil acesso. Os links devem estar a funcionar. 

 

Adoro passear em blogs simples, não me baralho com informação supérflua e foco-me no essencial.

 

Sobre "Começar um blog" é esta a partilha.

 

O primeiro texto da saga "Sobre Blogs" (sobre a Dimensão das Coisas) está aqui.

O terceiro texto da saga "Sobre Blogs" (sobre como Dinamizar um blog) está aqui.

O quarto texto da saga "Sobre Blogs" (sobre como Dinamizar um blog) está aqui.

 

1 comentário

Comentar:

CorretorEmoji

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrevam a Newsletter (prometo que não se vão arrepender)

Carreguem aqui para subscrever:)

Sigam-me

Facebook

Instagram @catarinaduarte.words

Biografia

Sou autora do livro infantil “Maria Bolinhos – no Reino da Maravilhosa Doçaria Alentejana” e do blog insensatez.blogs.sapo.pt. Escritora compulsiva: a minha vida é absorver tudo aquilo que vejo e tudo o que ouço. Se estão comigo há um certo risco de se tornarem inspiração da minha próxima personagem :) mas, calma!, não fujam já! Dou Workshops de Escrita Criativa a crianças e a adultos - são boas horas que sempre voam embaladas pelo fluir frenético da escrita. Devoro arte, sou constantemente inspirada por ela, nas suas mais diversas formas: livros, pintura, música, cinema, fotografia. Mas, também, jardins, praias, arestas dos prédios recortados da minha Lisboa: inspiro a luz que escorre pelas suas paredes, expiro um texto completo de incertezas. Não passo sem café, sem livros, sem as minhas viagens mas, especialmente, sem o ar livre da minha cidade, a minha maior inspiração. Tenho 32 anos, vivo em Lisboa com o meu marido e com as minhas palavras preferidas.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D