Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

(in)sensatez

25
Set17

Páginas Partilhadas - Arriscar.

CD

Lembram-se de eu vos ter falado sobre o projeto da Filipa chamado Páginas Partilhadas?

 

O primeiro tema lançado foi a palavra Arriscar. O meu texto saiu hoje. 

 

"Sendo uma pessoa que aprecia segurança, a palavra “arriscar” existe, em mim, sempre bem protegida. Costumo almofada-la com certezas, enquadra-la com alguma solidez e revesti-la sempre com garantias."

 

Podem ler o texto completo aqui.

04
Set17

Alma de Escritora.

CD

Uma vez, há muitos anos, referiram-me que eu tinha alma de escritora.

 

 

Na altura, não percebi (aliás, sendo franca, ainda hoje tenho certas dúvidas que perceba) o significado disto de ter alma de escritora.

 

 

Porém, hoje, enquanto relaxava (aquele verbo cuja quietude tenho dificuldade em alcançar), vislumbrei em mim, na sombra que se projetava no chão, um imagem ténue do que poderia ser isto de ter alma de escritora.

 

 

Ali, recortada na sombra que me desenhava, nas margens do rio que jorrava, vi, vi mesmo, ainda que não me considere uma, a sombra da escritora que sou.

 

 

 

Texto escrito no início das minhas férias, no Minho, início de Agosto 2017.

31
Ago17

Páginas Partilhadas.

CD

paginas-partilhadas-logo.png

 

 

 

 

Vou partilhar convosco um projeto, que vai avançar a todo o gás em Setembro, chamado Páginas Partilhadas.

 

Este projeto tem como fundadora a Filipa M. e tem como objetivo estimular a imaginação e a criatividade.

 

Basicamente, todos os meses, vai ser lançado um tema (o de Setembro é ARRISCAR) e, à volta dele, os autores associados ao projeto vão desenvolver um texto.

 

Se alguém estiver interessado em participar, deverá enviar um e-mail para paginaspartilhadas@gmail.com.

 

Se querem razões para escrever, aqui têm mais uma!

 

Redes Sociais da Projeto:

 

Blog aqui

Facebook aqui

Instagram aqui

Texto da Filipa onde é explicado como proceder

29
Mai17

Workshop - Escrita Criativa - Livraria Ler Devagar

CD

Comecei a dar Workshops de Escrita Criativa, devo confessar, um bocado a medo.

Estava segura dos meus conhecimentos, isso era certo, sabia que tinha a ver comigo o formato destes Workshops, mas não tinha propriamente grandes expectativas relativamente ao quanto realizada dali podia sair.

Depois foram aparecendo grupos como este e, bom, posso dizer que bendita a hora em que tomei esta decisão.

Vou abrir uma data para breve – por isso, a todos os interessados: enviem e-mail para escritacriativainfo@gmail.com.

 

Workshop 27052017.jpg

 Obrigada.

❤︎

04
Dez16

Oficialmente, uma senhora.

CD

Entrei (atrasada para a consulta) naquele prédio recuperado da Avenida da Liberdade. 

A fachada era antiga e estava pintada, não de fresco, mas de novo. 

Uma senhora, sentada num banco, à entrada, sublinhava calmamente – com aquela calma que as pessoas de idade têm e que eu invejo - frases de um livro que lia. Escrevinhava também nas suas margens.

Disse, quando me viu entrar,  com verdadeira educação:

“Boa tarde, minha senhora.”

E eu, bom, eu cresci logo mais dez centímetros, não por me sentir superior, mas por vaidade pura, afinal era (agora) uma senhora. 

Devolvi, então, a tarde que se tornou, entretanto, boa e convenci-me que agora, como senhora, é sempre a melhorar.

 

Estou aqui:

Instagram

Facebook

06
Nov16

Pela metade.

CD

Habituamo-nos ao amor pela metade, às amizades em part-time, às relações mais ou menos.

Habituamo-nos às férias que lá se passaram, aos jantares aceitáveis, aos vinhos na média.

Habituamo-nos a viver na linha mediana da vida, no equador dos nossos sentidos, no “tanto faz”.

Habituamo-nos. Ponto final.

Habituamo-nos da mesma forma que nos habituamos a um portátil que fica lento, a um telemóvel que encrava, a uma televisão que não liga.

Quando damos por nós achamos normal o portátil demorar dez minutos a funcionar, ter que reiniciar o telemóvel sempre que queremos abrir uma aplicação ou, simplesmente, deixar de ver televisão (também, se pensarmos bem, nunca gostamos muito dela).

Acostumamo-nos a viver pela metade, a desenrascar sentimentos e sentidos, a incluir a meia medida como se fosse inteira. Habituamo-nos a reduzir a receita, a cortar nos açúcares e, especialmente, no sal.

Viver pela metade, realisticamente digo: é quase certo - habituamo-nos sempre.

 

Estou aqui:

Instagram

Facebook

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrevam a Newsletter (prometo que não se vão arrepender)

Carreguem aqui para subscrever:)

Sigam-me

Facebook

Instagram @catarinaduarte.words

Biografia

Sou autora do livro infantil “Maria Bolinhos – no Reino da Maravilhosa Doçaria Alentejana” e do blog insensatez.blogs.sapo.pt. Escritora compulsiva: a minha vida é absorver tudo aquilo que vejo e tudo o que ouço. Se estão comigo há um certo risco de se tornarem inspiração da minha próxima personagem :) mas, calma!, não fujam já! Dou Workshops de Escrita Criativa a crianças e a adultos - são boas horas que sempre voam embaladas pelo fluir frenético da escrita. Devoro arte, sou constantemente inspirada por ela, nas suas mais diversas formas: livros, pintura, música, cinema, fotografia. Mas, também, jardins, praias, arestas dos prédios recortados da minha Lisboa: inspiro a luz que escorre pelas suas paredes, expiro um texto completo de incertezas. Não passo sem café, sem livros, sem as minhas viagens mas, especialmente, sem o ar livre da minha cidade, a minha maior inspiração. Tenho 32 anos, vivo em Lisboa com o meu marido e com as minhas palavras preferidas.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D