Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

(in)sensatez

por Catarina Duarte

(in)sensatez

por Catarina Duarte

Seg | 06.03.17

António Zambujo - na Fundação Calouste Gulbenkian.

CD

Zambujo.JPG

 

Na passada sexta-feira fui ao concerto do António Zambujo, na Fundação Calouste Gulbenkian. O tema deste concerto foi o seu álbum “Até pensei que fosse minha”, aquele que constitui uma homenagem clara a Chico Buarque, o maior letrista de língua portuguesa, segundo Zambujo.

O concerto foi maravilhoso, desenvolvido num ambiente muito intimista: o palco estava, aliás, alinhado com esse mesmo ambiente, pois fazia lembrar uma confortável sala de estar.

A sala de espetáculos, o Grande Auditório da Fundação, é, na minha opinião, das melhores salas que temos, tanto pelo conforto como pela acústica que nos fornece.

Fiquei à espera que Chico Buarque entrasse a qualquer momento, mas tal não aconteceu - não foi inferior por isso: nada disso.

Roberta Sá foi convidada e foi quem acompanhou Zambujo na música “Sem Fantasia”, à semelhança do que acontece no álbum.

Uma palavra para os músicos que acompanham Zambujo: é muito bom verificar que, num país que não prima propriamente pelos grandes apoios que fornece aos artistas, temos músicos tão validos, tão bons, tão perfeitos.

No final, tivemos direito a bónus: ficamos para a sessão de autógrafos e podemos trocar duas beijocas com o Zambujo (Zambas, para os amigos).

Gostei muito (mais uma vez).