Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

(in)sensatez

por Catarina Duarte

(in)sensatez

por Catarina Duarte

Qui | 16.08.18

Dicas para fazer uma mala de viagem.

CD

Gostava imenso de vos dar algumas dicas básicas sobre como se deve fazer malas de viagem, caso as mesmas, as viagens, sejam de longo curso, e julgo que sou mesmo a melhor pessoa do mundo para as fornecer, as dicas, claro, de forma totalmente gratuita e desprendida, porque eu sou mesmo assim, uma mãos-largas do melhor que este mundo já viu, sempre a distribuir conhecimento aleatório entre as pessoas (nota-se que estou a precisar de férias?).

 

Então é assim: abrir a mala, arrumar a roupa ordeiramente e fechar a mala. Parece fácil, não é? E é mesmo!

 

Se, a isto, vos disser que vou fazer uma viagem de longo curso com uma mala de cabine mais a minha mochila todo-o-terreno, acreditam? É mesmo verdade! E juro que não vou repetir roupa e que levo roupa interior mais do que suficiente (como tenho sempre medo que falte - nunca falta! - até regresso com roupa interior por usar: levo mesmo muita quantidade). Sou a maior a simplificar na altura de fazer malas de viagem!

 

Se se falar em roupa de Verão, como é o caso, então, não há quem me pare. Não há cá estojo com 500 joias e bugigangas, nem 10 pares de sapatos, não há secadores de cabelo nem nada supérfluo que possa-eventualmente-usar. Ou uso ou não uso e sou mesmo boa a analisar friamente qual a baixa-probabilidade-de-uso vs certeza-de-uso.

 

Onde a coisa tende a descambar é sempre nos livros porque, pese embora eu tenha um Kobo para me facilitar a vida no que ao transporte diz respeito, não abdico de levar um ou outro livro em formato papel.

 

Simplificar é sempre a palavra de ordem.

 

E vocês? São adeptos da "técnica simplificar" ou gostam de levar a casa às costas?

1 comentário

Comentar post