Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

(in)sensatez

por Catarina Duarte

(in)sensatez

por Catarina Duarte

Sex | 24.08.18

Opinião: A Mulher Certa, de Sándor Márai.

CD

a mulher certa.JPG

 

“A Mulher Certa” foi o segundo livro que li de Sándor Márai, escritor húngaro que muito aprecio. O livro “As Velas Ardem até ao Fim”, do escritor, tem um lugar de destaque neste meu coração palpitante e, lembro-me bem, no Natal logo após o ter lido, que foi o meu presente para uma série de pessoas: estava determinada em partilhar com o mundo tudo aquilo que o livro me tinha dado!

 

Claro que, repleta de expectativas, lá me encaminhei, com força e determinação, para “A Mulher Certa” que, pese embora tenha gostado, não me circundou, com aquela paixão e clareza, como o conseguiu fazer o livro “As Velas Ardem até ao Fim”.

 

Peço desculpa aos fãs do livro que, sei bem, são mais do que muitos.

 

“A Mulher Certa” é contada por 3 pessoas diferentes, sendo que, no final, é-nos oferecido um bónus e surge uma quarta pessoa a relatar o seu ponto de vista (parcial) da história. Claro que, à medida que cada nova perspectiva nos é dada, vai-nos sendo também fornecidas novas informações, e isso torna a história interessante porque, como sabemos, não há muita coisa pior do que apenas se ter uma versão de determinada história.

 

É um livro que fala de Amor mas também de classes sociais e do que é ter tudo e perder tudo. Fala também de guerra (gostei do enquadramento histórico) e de aceitação e de espera e de tudo o que se pode fazer por amor, sendo que, aceitação e espera, podem sempre fazer parte desta lista. 

 

É um livro bom, sem dúvida. Brutalmente bem escrito, com as personagens (poucas mas boas – bem como eu gosto) muito bem traçadas. Porém, o livro tem também algumas partes penosas de ler, por isso, apenas por isso, não posso dizer que a leitura tenha fluído rapidamente. Talvez a altura em que o li não tenha sido a certa, não sei. No que a este livro diz respeito, a fase da nossa vida em que estamos, julgo que pode afectar muito o quanto gostamos dele.

 

Fui partilhando, ao longo da leitura, algumas boas frases que me foram chamando à atenção. Podem ver todas aqui.

 

E vocês? Já leram Sándor Márai? O que têm a dizer sobre este escritor? 

2 comentários

Comentar post