Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

(in)sensatez

por Catarina Duarte

(in)sensatez

por Catarina Duarte

Ter | 19.01.16

Opinião - A Vida no Céu de José Eduardo Agualusa.

Catarina Duarte

A vida no céu.jpg

Sinopse:
A Vida no Céu é um romance distópico, num futuro que se segue ao Grande Desastre, e em que o Mundo deixou de ser onde e como o conhecemos. Encontrando-se o globo terrestre inteiramente coberto por água, e a temperatura, à superfície, intolerável, restou ao Homem subir aos céus. Mas essa ascensão é literal (não é alusiva ou simbólica): a Humanidade, reduzida agora a um par de milhões de pessoas, habita aldeias suspensas e cidades flutuantes - dirigíveis gigantescos denominados Tóquio, Xangai ou São Paulo -, e os mais pobres navegam o ar em pequenas balsas rudimentares. Carlos Benjamim Moco é o narrador da história. Tem 16 anos e nasceu numa aldeia, Luanda, que junta mais de cem balsas. O desaparecimento do pai fará com que Benjamim decida partir à sua procura.

Plano Nacional de Leitura Livro recomendado para o Ensino Secundário como sugestão de leitura.

 

Opinião: Gostei bastante deste livro. Tinha boas referências dele e não fiquei desiludida. A ideia base do livro é bastante original e imaginei, diversas vezes, que dava um filme engraçado. Adorei algumas passagens e frases. O livro pretende passar algumas mensagens, sempre de forma muito subtil, usando, para tal, metáforas muito interessantes. Dei por mim, bastantes vezes, a pensar em tudo aquilo que damos por garantido, nos nossos dias, tal como o cheiro da terra molhada. Situações que passam completamente despercebidas nos meandros dos nossos afazeres diários.

A parte menos boa é que não criei muitos laços com as personagens. Não me identifiquei particularmente com nenhuma - achei que estavam pouco desenvolvidas.

 

Rating: 4/5

Insensatez no Facebook -> aqui.

5 comentários

Comentar post