Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

(in)sensatez

por Catarina Duarte

(in)sensatez

por Catarina Duarte

Seg | 10.10.16

Sobre a necessidade dos chavões.

CD

Sobre os chavões: não gosto de os escrever mas percebo que existam. Os chavões não são mais do que a concretização – em frases - do que (muito provavelmente) já se desconfiava ou do que (verdadeiramente) já se sabe.

Há sempre uma alma que formaliza a ideia vaga de um pensamento livre. E (a verdade é que) é sempre mais fácil de comunicar a palavra concreta.

As pessoas, por norma, afastam-se dos chavões. Eu percebo. Porque faço o mesmo. Não gosto da componente fácil e solta das frases feitas.

Agarro-me a alguns, aos que mais gosto, àqueles que me unem, de forma fixa, à minha realidade, aqueles que me ajudam a manter (alguma) normalidade nos meus dias.

Preciso deles. Preciso de os dizer. Para fechar conversas e finalizar ideias.

Todos temos um chavão preferido. Qual é o vosso?

4 comentários

Comentar post