Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

(in)sensatez

por Catarina Duarte

(in)sensatez

por Catarina Duarte

25.01.17

África do Sul - Cape Town.

Catarina Duarte
  Deixei Cape Town para último e andei a adiar ter que escrever sobre ela. Como fizemos imensa coisa nesta cidade, não me conseguia decidir sobre que género de informação queria passar neste texto e qual o detalhe que aqui queria colocar. Começando pelo início: Há anos que queria ir a Cape Town e a viagem a Moçambique foi a desculpa perfeita! Ouvia dizer que é das cidades mais bonitas do mundo (a par, talvez, com o Rio de Janeiro) e a minha curiosidade foi sempre mais do que (...)
19.01.17

(mais sobre) África do Sul – Blyde River Canyon, Lisbon Falls, God’s window (e outros locais)

Catarina Duarte
    No dia a seguir a visitarmos o Kruger Park, aproveitando a proximidade geográfica, demos uma volta pela zona e ficamos francamente fascinados pela sua beleza natural. Não sei se as expectativas eram baixas (ou se as tinha sequer), o que é certo é que, em cada local por onde parava, ficava deslumbrada pelas paisagens a perder de vista ou pelas quedas de água imponentes.   Quanto ao tema segurança (que era um tema que me preocupava e, imagino eu, preocupa a quem decide viajar (...)
18.01.17

África do Sul - Kruger National Park

Catarina Duarte
  Nunca – NUNCA – na minha vida de viajante tinha feito um safari. Faltava picar (claramente) este ponto na minha Bucket List (isto e uma outra actividade também feita nesta viagem – mas, sobre ela, falarei mais à frente). Como era o nosso primeiro safari, achamos boa ideia faze-lo no Kruger National Park e, dado que íamos até Maputo, as condições estavam todas reunidas para juntar o útil ao agradável (Maputo e Kruger Park estão a, aproximadamente, 100 km de distância).   (...)
16.01.17

Sobre África.

Catarina Duarte
Não sei se há uma razão concreta ou se são apenas ondulações da minha mente (da parte mais romântica) mas sinto que há uma ligação, quase sanguinária, entre os portugueses e África. A existirem essas razões, podem apontar como um: “mas isso és tu que tens família africana”. Remato apenas: não tenho. E eu, mesmo não tendo um pai angolano ou uma mãe moçambicana (ou de qualquer outra ex-colónia portuguesa), sinto uma atracção quase sobrenatural por este continente. Se (...)