Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

(in)sensatez

por Catarina Duarte

(in)sensatez

por Catarina Duarte

30.10.18

Eu sou a favor da liberdade. Mas só quando me interessa.

Catarina Duarte
    Há uns dias, um tipo, que eu sigo no instagram e cujo conteúdo me agrada, partilhou uma série de insta stories a explicar que era alvo de preconceito. Ele é homossexual e vive com o seu namorado. Explicava então que, apesar de viver protegido pelo seu núcleo duro, agora que pretendia arranjar um empregada de limpeza, não o estava a conseguir, isto porque assim que elas se apercebiam que eles eram um casal homossexual arranjavam as mais variadas desculpas para não trabalhar. (...)
23.07.18

Liberdade que destrói liberdade.

Catarina Duarte
 Imagem retirada do Pixabay   Infelizmente, sou uma pessoa muito pouco tolerante à falta de noção das outras pessoas. Juro-vos que tenho genuína pena que assim o seja porque acho que podia ser um bocadinho mais feliz.   As liberdades que afetam uns e que afetam outros, são mais do que muitas. E, hoje em dia, nem é preciso esforçarmos muito a nossa sensível vista para as detetarmos. Estão mesmo à mão de semear.   Não me (...)
12.03.18

A Coreia do Norte nos pequenos detalhes.

Catarina Duarte
 (imagem retirada do Instagram @bedtime)   Neste país, só se pode dar uma opinião se se for de esquerda ou se, o que se pretender transmitir, for em linha com aquilo que é considerado como politicamente correto. O que é uma pena! Só faço anos em Novembro mas, se fizesse hoje, ao soprar as velas, pediria mais TOLERÂNCIA. Tenho a sorte dos meus “seguidores” (não, isto não é uma seita) serem pessoas sensatas mas (...)
09.01.18

Os tempos modernos e a liberdade de expressão.

Catarina Duarte
O tema da Liberdade de Expressão não é novo, por estas bandas. Hoje trago-vos um artigo do João Miguel Tavares sobre a intervenção que a Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género (CIG) fez devido a um artigo de opinião de José António Saraiva, onde o mesmo escreve sobre a cirurgia de mudança de sexo.   Podem ler aqui.   Qual a (...)
18.12.17

Tiro ao homem.

Catarina Duarte
Aqui há uns meses, quando escrevi o meu texto sobre a polémica da Porto Editora, uma pessoa escreveu, de forma algo maldosa até, uma série de considerações sobre mim sem nunca se debruçar sobre a minha opinião.   Posso considerar que esse foi o meu primeiro hater que tive na vida e, desde então, nunca mais soube nada dele.   No texto que escrevi, eu liguei a polémica da (...)
26.09.17

O apartheid de saias.

Catarina Duarte
Estas eleições legislativas têm sido ricas em episódios humorísticos: têm sido muitos, suculentos e brotam de todos os lados. Não fosse a vergonha alheia que representam e até admitia que estão a servir para animar uma já-não-tão-silly-season.   O último que me recordo aconteceu há uns dias quando, Joana Amaral Dias, candidata pela Nós, Cidadãos! à Câmara Municipal de Lisboa, propôs a existência de um espaço segregado, para as mulheres, nos autocarros, para as (...)
17.09.17

A inspiração e o plágio.

Catarina Duarte
Hoje em dia fala-se muito em inspiração. Na verdade, qualquer processo criativo, desde que existimos, se senta, de forma confortável, na inspiração.   Sou mesmo da opinião que qualquer obra que criamos tem por base aquilo que sentimos à nossa volta. Não só surge daquilo por que passamos, das nossas vivências, como também nasce daquilo que vemos, em nosso redor, acontecer: a arte que absorvemos, os livros, as músicas, os filmes, as pinturas a que temos acesso. A inspiração (...)