Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

(in)sensatez

por Catarina Duarte

(in)sensatez

por Catarina Duarte

15.03.19

De ídolos a ódios.

CD
  Penso muito na forma como passamos de bestiais a bestas sendo que, claro, em algumas das vezes, até é de forma totalmente justificada.   O mais recente fenómeno foi o Michael Jackson, ídolo incontornável da minha geração, cujas músicas ouvimos vezes em fim. Não são novas as acusações que agora lhe fazem, à luz do documentário agora lançado: sempre se falou das mesmas, eu, pelo menos, sempre as ouvi; a minha reação não foi propriamente de espanto. Ele foi julgado, que (...)
14.03.19

Opinião: Fyre Festival – documentário.

CD
  Não sei se estão recordados de uma mega promoção feita a um festival de luxo a ocorrer numa ilha paradisíaca, nas Bahamas, que nunca chegou a acontecer? Pronto, é disto que trata este documentário que vale bastante a pena ver, cujo desfecho tem tanto de inacreditável como de previsível.   Vou começar pelo início porque ele próprio é também bastante engraçado: tudo começou em 2016, em Lisboa, no Web Summit onde foi apresentada uma aplicação que propunha unir influencers
28.02.19

Os filhos não podem ser a vida dos pais.

CD
Com a idade, parece-me ser bastante inteligente assumir que isto é uma certeza, talvez das únicas que nos permitem ter: não há respostas para a maioria das perguntas. Ou, mesmo que tenhamos a ilusão que temos a certeza, em determinado momento, sobre algo, é bom ter a noção clara que é normal mudarmos de ideias, como diz o IKEA.   Talvez por estar grávida e o ritmo de trabalho não ter, de todo, diminuído, penso muito em quem se dedica inteiramente aos filhos. Com oito meses (...)
26.02.19

Sobre a família. Sobre os amigos. Na política. No PS.

CD
  Acontece muito: filhos de médicos serem médicos, filhos de pilotos serem pilotos e filhos de apresentadores de televisão serem apresentadores de televisão. Acontece muito mesmo. É aceitável, não vejo nada de estranho, não considero que tenha que haver favorecimentos de pais para filhos para isso acontecer. Claro que PODE haver ajudinhas. Só não acho que TENHA que haver ajudinhas para tal acontecer.   Basta olhar para a cultura e o que não faltam são exemplos de filhos que (...)
25.02.19

Mulheres de Atenas e o politicamente correto.

CD
Hoje em dia, colocam-se, sistematicamente, entraves a quem cria e, vou-vos já dizer o final, vamos acabar todos padronizados no mesmo intervalo de coisas que nos permitem fazer, dentro daquilo que é aceitável como politicamente correto. Tenho pena: é pela diversidade que cresce a Cultura e, claro, o Homem.   Possivelmente, nunca aqui o disse, mas sou uma apreciadora de música brasileira sem qualquer complexo ou pudor. Papo tudo: desde funk, a Bossa Nova. Caetano, Chico, Elis, (...)
19.12.18

Opinião: The American Meme.

CD
  Ontem, entre o cancelamento de um jantar de Natal e o estado de preguiça em que me encontrava, comecei a ver um documentário, disponível na Netflix, chamado “The American Meme” que, basicamente, retrata a vida de algumas das pessoas que vivem e ganham dinheiro por partilharem as suas vidas nas redes sociais e que são viciadas nos likes e que não vivem sem a aprovação dos outros.   Não é um documentário brilhante e até achei que focou, este assunto, bastante pela rama, (...)
14.12.18

Estabelecimentos sem multibanco: não dão jeito nenhum.

CD
  Normalmente, fora uns trocos mal paridos que me deformam as carteiras todas, não ando com dinheiro. Pesam-me na mala, não adoro a ideia de tocar em dinheiro, e não tenho pachorra para o ir levantar. Não tenho nenhuma situação na minha vida em que seja necessário pagar em dinheiro e, mesmo os parquímetros que habitam na cidade de Lisboa, permitem o seu pagamento através da aplicação, o que me facilita imenso a vida.   Percebo perfeitamente o finca-pé que existe perante as (...)
03.12.18

Opinião: Crianças Felizes, de Magda Gomes Dias.

CD
    Terminei de ler o livro “Crianças Felizes”, de Magda Gomes Dias, autora do blog Mum’s The Boss. É um livro que retrata o tema da parentalidade positiva, algo muito falado ultimamente.   Confesso que estava bastante céptica quanto ao teor do mesmo e, não tendo eu ninguém para educar nem qualquer conhecimento na área de educação, tive algum receio de não entender o real propósito do mesmo.   Ainda assim, lá abracei esta (...)
20.11.18

O café com açúcar devia ser mais caro.

CD
  Há já algum tempo que ando a pensar sobre isto.   Economicamente falando, não faz sentido que uma pessoa que beba café sem açúcar pague o mesmo que uma pessoa que beba o seu café com açúcar.   Por outro lado, esta situação pode levar (e leva) a que muitas pessoas que, quando estão a beber o seu café, não queiram açúcar, aproveitem esta oferta para levarem o pacote para casa, quando não é, de todo, essa a ideia do pacotinho que emparelha a chávena.   Mas, para mim, (...)
12.11.18

Sexo e a Cidade 2 – um filme cheio de Girl Power.

CD
Este fim-de-semana revi o filme Sexo e a Cidade, aquele que se passa em Abu Dhabi. Pode parecer um acontecimento irrelevante, afinal não falamos propriamente da obra-prima do cinema, mas não é: tive mesmo a perceção que os olhos que, desta vez, o viram, pouco têm a ver com aqueles que o viram há 8 anos, na sua estreia.   Eu sei que mudei, claro que sim, mas será que mudei assim tanto, ao ponto da minha análise ao filme ter sido totalmente diferente? Não, não me parece.   Entã (...)