Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

(in)sensatez

por Catarina Duarte

(in)sensatez

por Catarina Duarte

16.03.18

Turismo – outra vez.

CD
  (eu juro que, depois deste texto, me calo com o tema dos Turistas em Lisboa – pelo menos, durante umas semanas – mas, de facto, acho esta questão muito importante e que deve ser debatida até à exaustão). Temos alguma legitimidade para mandar vir com os turistas em Lisboa, quando, muitas vezes, também nós somos turistas?Eu julgo que sim, que temos toda a legitimidade. O meu problema com o turismo em Lisboa é o deslumbramento. É saber que podemos estar a construir um (...)
15.03.18

Ora, mas isso acontece em todas as grandes capitais europeias!

CD
 Assim que usam o argumento “Ora, mas isso acontece em todas as grandes cidades europeias!”, eu desligo. Logo. Direto. Sem passar pela casa da partida. Descredibilizo a pessoa em causa, deixo de a ouvir, ignoro qualquer frase depois disso, risco a pessoa da minha vida, morreu para mim, acabou. Vá, calma, é possível que a frase imediatamente antes desta esteja carregada de exagero. É possível. Mas um exagero muito próximo da realidade. As mais giras nunca foram um objetivo a (...)
26.01.18

Falar em inglês nos restaurantes em Lisboa? Poupem-me!

CD
 Posso estar a cometer uma grande injustiça mas sinto uma euforia generalizada com esta história do turismo em Lisboa. Uma euforia quase provinciana, para dizer a verdade: agora sim, pertencemos ao grupo das grandes capitais da Europa.  Eu sempre achei que Lisboa era a capital mais bonita da Europa e, no Mundo, também há poucas que lhe cheguem aos calcanhares. Digo-vos com conhecimento de causa: desde pequena que viajo com muita regularidade. Se o coração pode pesar nesta (...)
19.12.17

Quando todos saírem, o que restará da nossa Lisboa?

CD
 Imagino, muitas vezes, Lisboa como uma senhora alta, de silhueta fina e de rosto delicado. Imagino a sua tez luminosa a refletir o sol que lhe entra pelos poros adentro. Na minha imaginação, Lisboa tem sempre um colar de pérolas de duas voltas ao pescoço e os seus gestos, esses, são contidos. As pessoas gostam dela porque o seu esmero, em receber, é grande. Tem dedicação nos detalhes. Tem educação no trato. Lisboa é graciosa. Mas imagino-a também, muitas vezes, sozinha. Lisbo (...)
08.05.17

Uma Disneyland chamada Lisboa.

CD
 Não sou nada aquele género de pessoa que está sempre a maldizer a quantidade de turistas que a sua cidade tem.Em parte, não o faço porque reconheço a sua importância na nossa economia mas também (e, talvez, principalmente) porque tenho um certo orgulho da minha cidade estar a ser eleita como o destino de férias de alguém. Afinal de contas, com tantas cidades no mundo, foram logo escolher a minha!Tem que haver justiça: o turismo melhorou Lisboa - tornou-a (ainda) mais luminosa, (...)