Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

(in)sensatez

por Catarina Duarte

(in)sensatez

por Catarina Duarte

Qua | 15.02.17

Vantagens do Facebook.

CD

Tive Facebook, deixei de ter e, há cerca um ano, voltei.

 

No meio das inúmeras desvantagens do Facebook, lá vou encontrando umas e outras vantagens para por lá ir ficando.

 

Para além de ser um óptimo organizador de notícias, de me ajudar a seguir (e a ler) o que escrevem pessoas que admiro (tantas, felizmente), permite-me ter acesso a informação de forma (minimamente) ordenada.

 

Há páginas que sigo porque me dão logo todas as informações que necessito sobre determinado tema.

Exemplo disso é a Comunidade Cultura e Arte.

 

Esta página colocou o pequeno texto que agora transcrevo:

 

"Beyoncé é mainstream demais pra ser bom, Adele é choro demais pra ser divertido, Bruno Mars é divertido demais pra ser sério, Metallica não é velho que chegue ...pra ser vintage, Kendrick não é suficientemente novo pra ser cool, Childish Gambino é demasiado cool para ser hip, Frank Ocean é demasiado hip para ser fresh, Jaden Smith é demasiado Fresh para não ser pretensioso, Kanye West é demasiado pretensioso para ser orgânico, Arctic Monkeys era demasiado indie para ser rádio, Gaga é demasiado Rádio para ser Rock, Alice Cooper era demasiado Rock para ser Metal, Britney é demasiado podre pra ser irónico, Lily Allen é demasiado irónico pra ser pop, Madonna é demasiado pop para ser revolução, Daft punk é demasiado revolução para ser comercial, Weeknd é demasiado comercial para ser swag, Migos é demasiado Swag pra ser música, Fado é demasiado antigo para ser novo e Bach é demasiado parado pra ser mexido.  Demasiado provocadora para ser mulher de respeito, demasiadas tattos para ser produtivo, demasiado feminino para ser hetero, demasiado masculino para ser gay, demasiado jovem para ter sucesso, demasiado velho para beijar em público, demasiado gordo para calças, demasiado magra para saias, demasiado duro para ser bom, demasiado mole para ser duro, demasiado fútil para ser arte, demasiado arte para ser vida.  Demasiada merda para ser demais, numa sociedade demasiado pequena para respirar."

De Peter Castro

 

E concordo! Concordo tanto com isto: “Demasiada merda para ser demais, numa sociedade demasiado pequena para respirar.”

 

Deixem estes "demasiados" (também falo para mim: sempre a opinar, sempre com algo a dizer), vamos arrumá-los num armário!

 

Isto aqui é demasiado curto, demasiado rápido, demasiado bom para tantos demasiados!

 

Bom dia :)